"Sou um só, mas ainda assim sou um. Não posso fazer tudo, mas posso fazer alguma coisa. E, por não poder fazer tudo, não me recusarei a fazer o pouco que posso"

sábado, 28 de outubro de 2017

IDEOLOGIA DE GÊNERO: O FIM ESTÁ PRÓXIMO

IDEOLOGIA DE GÊNERO: O FIM ESTÁ PRÓXIMO

Estamos cada vez mais próximos de que a Ideologia de Gênero seja eliminada na BNCC.
Leia com atenção não só a matéria abaixo, como baixe também todos os vídeos e documentos listados. Não se trata apenas de informação.
========================================================
1. SESSÃO ESPECIAL DE HOMENAGEM À FAMÍLIA NO AUDITÓRIO NEREU RAMOS DA CÂMARA DOS DEPUTADOS
========================================================
Esta quarta feira dia 25 de outubro de 2017 foi realizada uma Sessão Especial de Homenagem à Família no Auditório Nereu Ramos da Câmara dos Deputados de Brasília, simultaneamente ao início do processo de impeachment do presidente Temer no auditório principal.
O presidente da Câmara Rodrigo Maia ausentou-se temporariamente da coordenação do Impeachment para comparecer à cerimônia e fêz um pequeno discurso contra a inclusão da ideologia de gênero na BNCC.
Em seguida o deputado Diego Garcia aproveitou para interromper o cerimonial e pedir a todos os deputados presentes e grande número de ouvintes de Brasília e de Goiás para entregar ao presidente Rodrigo Maia o requerimento REQ 7331/2017 que pede que o Projeto de Lei 4486/2016 de autoria do deputado Rogério Marinho (PSDB/RN) que altera o Plano Nacional de Educação (Lei nº 13.005/2014), exigindo que a Base Nacional Comum Curricular - BNCC, não possa ser aprovada mediante simples homologação do Ministério da Educação, mas tenha que ser votada e aprovada primeiro pelo Congresso Nacional. Neste caso, os deputados e senadores poderiam emendar a Base, antes de aprová-la, retirando todas as referências à Ideologia de Gênero. Foi explicitamente pedido ao Deputado Rodrigo Maia que paute e vote o Requerimento o mais prontamente possível.
O discurso do Deputado Rodrigo Maia e a entrega do Requerimento podem ser vistos neste vídeo:
========================================================
2. VERSÃO PRELIMINAR DE UM ESTUDO DA ASSOCIAÇÃO DE MÉDICOS PELA DIVERSIDADE.
========================================================
Juntamente com o Requerimento, foi entregue pelo Deputado Diego Garcia ao Deputado Rodrigo Maia, a versão preliminar de um documento preparado pela Associação de Médicos pela Diversidade, ali representados pela Dra. Carla Dorgam, com uma ampla exposição da ausência de fundamentação científica dos principais pressupostos da Ideologia de Gênero.
O estudo elaborado pela Associação de Médicos pela Diversidade pode ser examinado neste outro endereço:
========================================================
3. APRESENTAÇÃO DA DRA. CARLA DORGAM.
========================================================
Mais adiante, na mesma Sessão, a Dra. Carla Dorgam tomou a palavra e explicou o conteúdo da versão preliminar do estudo da AMD. A fala pode ser vista neste endereço:
========================================================
4. POSSE DO DEPUTADO DIEGO GARCIA NA PRESIDÊNCIA DA FRENTE PARLAMENTAR EM DEFESA DA VIDA E DA FAMÍLIA.
========================================================
Em seguida o Deputado Diego Garcia assumiu a presidência da Frente Parlamentar em Defesa da Vida e da Família e se comprometeu, em nome da maioria dos membros do Congresso, não só a retirar completamente a Ideologia de Genero da BNCC, como também a não mais permitir que esta Ideologia avance na legislação nacional.
Veja o discurso de posse do Deputado Diego neste endereço:
========================================================
5. APRESENTADO NO SENADO O PLS 400/2017, PARA IMPEDIR A APROVAÇÃO DA BNCC SEM QUE A BASE SEJA VOTADA NO CONGRESSO.
========================================================
Além destes fatos ocorridos na câmara, no Senado o Senador Ricardo Ferraço, do Estado do Espírito Santo, apresentou esta semana um novo projeto de lei, semelhante ao PL 4486/2016 do deputado Rogério Marinho, mas que irá tramitar a partir do Senado, que também exige que a Base Nacional Comum Curricular não seja aprovada sem antes ser votada pelo Congresso Nacional.
Trata-se do PLS 400/2017, de autoria do próprio Senador Ricardo Ferraço. A tramitação pode ser consultada no site do Senado:
Na justificativa do projeto o Senador argumenta que "O procedimento adotado para elaboração da BNCC não contempla os atores importantes de forma completa. Concebida no âmbito do Conselho Nacional de Educação, a Base é enviada ao MEC, que decide pela sua implementação.
É temerário que somente o Ministério da Educação (MEC) e o Conselho Nacional de Educação (CNE) sejam os responsáveis pela elaboração e aprovação da base.
O processo em si mesmo já é condenável. Valoração tão importante para o futuro da nação deve ser amparada num processo democrático pelos poderes executivo, legislativo e comunidade educacional.
A sociedade precisa opinar, o Executivo deve elaborar e o Congresso Nacional, representante legitimado pelo voto popular, decidir, em última instancia, a revisão ou a aprovação do documento que poderá mudar a vida escolar de mais de 50 (cinquenta) milhões de estudantes matriculados no ensino básico das redes estaduais, municipais e privadas do Brasil".
========================================================
6. CONCLUSÃO
========================================================

Todo o trabalho, todo o estudo e todo o empenho metódico que tantas pessoas estão realizando para levar a público conhecimento a realidade e as causas do que se esconde por detrás da Ideologia de Gênero e da BNCC, e como estas realidades são aspectos dentro de um empreendimento mais amplo de construção de uma Cultura da Morte produzem frutos, como não poderia deixar de ser. Parabéns a todos os brasileiros que estão ajudando a promover o bem.

domingo, 27 de agosto de 2017

A TOMADA DO BRASIL

Título original: A TOMADA DO BRASIL pelos maus brasileiros
Autor: Percival Puggina
Editora: Concreta
Assunto: Política
Edição:
Ano: 2015
Páginas: 290

Sinopse: PARA CONSTRUIR uma sociedade de verdade, livre e próspera, pilares morais são fundamentais. No caso, a moralidade presente na tradição cristã ocidental seria a resposta contra tanta subversão de valores, que hoje assola nosso país, tendo no PT seu maior sintoma. É esta a principal mensagem deste excelente livro de Percival Puggina, com olhar sempre arguto e coragem para remar contra a maré vermelha e colocar o dedo na ferida.Rodrigo Constantino

Em seu novo livro, Percival Puggina apresenta seus artigos escritos entre 2011 e 2015 - em um dos períodos de maiores turbulências da democracia brasileira. Atualizados e organizados por temas, os textos oferecem uma visão sobre os problemas nacionais de uma forma tão distante do padrão jornalístico atual quanto próxima da percepção do povo brasileiro.

A tomada do Brasil pelos maus brasileiros - Crônicas à margem da história contemporânea reúne os últimos cinco anos de escritos de um dos pensadores mais originais e tenazes da jovem e cambaleante democracia brasileira. Da revolução cultural ao desarmamento civil, das decisões do STF à Comissão da Verdade, de Marx a Lula, passando por Foro de São Paulo, Partido dos Trabalhadores e Teologia da Libertação, nada escapa a Percival Puggina.

As causas e origens de nossos problemas são complexas, mas a situação se tem agravado graças à ação dos maus brasileiros, que soem transitar pela via esquerda de nossa História. E os textos que compõem este livro estão organizados de modo a oferecer explicações sobre esse processo. São comentários atuais e certeiros, crônicas inseridas em contextos específicos, mas que, articuladas como se apresentam, descrevem com precisão os porquês da penúria brasileira. E ainda apontam como podemos reagir e ressurgir.

Comentário: Os trabalhadores de todo o mundo não se uniram. As idéias abstratas de Karl Marx (e de seu financiador, Frederich Engels) não encontraram ressonância na vida real. Ao contrário do socialismo, aquilo que Marx chamou de capitalismo não é uma ideologia, mas o resultado de uma relação própria dos seres humanos: a relação de trocas. Da mesma forma, não encontra amparo na realidade aquilo que Marx chamou de “moral burguesa”, da qual, segundo a fábula Manifesto do Partido Comunista, os trabalhadores de todo o mundo viriam a querer libertar-se, por ser artificialmente construída e imposta por quem detém os meios de produção. Chamado de “conservadorismo”, esse conjunto de “regras” também não é um ideário (como o é o socialismo), mas uma percepção acurada do mundo real, do que deu certo e do que deu errado ao longo da História, com a base de uma moralidade sempiterna, de um Direito Natural fundado na Verdade com “v” maiúsculo. Esse eixo certo e errado, fundador daquilo a que se chama conservadorismo, foi percebido em diferentes civilizações, em distintas regiões da Terra e em diversos momentos da História – e constitui o muro de contenção dos devaneios ideológicos.Mateus Colombo Mendes.

Sobre o autor: O autor deste livro se define como um conservador de tudo que a experiência dos povos demonstrou ser necessário conservar e, simultaneamente, como um vigoroso defensor do exercício responsável das liberdades. É um cronista cotidiano e do cotidiano, palestrante polemista, que faz do hábito de escrever e falar sua forma de dizer “Presente!” ao desenrolar dos fatos.

Percival Puggina é autor, também, de Crônicas contra o totalitarismoA tragédia da utopia e Pombas e gaviões

domingo, 25 de junho de 2017

ÍNDOLE MARXISTA

- A primeira coisa que você tem que aprender é que os marxistas não Possuem dilema moral, portanto são imunes a esse tipo de apelo. Dou dois exemplos:
a) As denúncias de escândalo (roubalheira) do PETROLÃO não impediram que a candidata do PT se reelegesse.
b) A condenação dos mensaleiros transformou todos eles em HERÓIS NACIONAIS. Alguém foi expulso do partido? Não.
Então, apelar para o mensalão, petrolão ou roubalhão é chover no molhado ou soltar "pum" dentro da banheira.

- A segunda, é que para marxistas o conceito de BEM e MAL não existe, o que existe é a Causa Revolucionária. Explico de novo:
a) Se o fato ajuda a causa da revolução, então é um BEM;
b) Se o fato não ajuda a causa revolucionária, então é um MAL.

- A terceira, é que todo marxista é um relativista congênito. O mesmo fato pode ser BEM e MAL ao mesmo tempo ou em diferentes épocas. A época não importa. Explico novamente e dou exemplos:
a) Matar homossexuais na U.R.S.S. na época de Stalin ou em Cuba na época de Fidel é BOM porque ajuda a causa da revolução. A revolução precisa do "homem forte", "do homem de pegada" e o homossexual é fraco e "delicado".
b) Defender os homossexuais no Brasil é um bem à causa revolucionária porque ajuda a DESTRUIR A FAMÍLIA e reforça o conceito de luta de classes.

Então, fatos antagônicos, MATAR ou DEFENDER, passa ser igualmente BOM porque favorece a causa da revolução marxista. O mesmo raciocínio se aplica ao MAL. Compreendeu?

Quem são os marxistas no Brasil? O PT, o PC do B, o PSOL, o PSTU, o PPS, o PDT e todos os demais partidos de esquerda, sem exceção.

A.O.